Sistema FAEP/SENAR-PR

Em 2000, foi criado o Conselho dos Produtores de Cana-de-açúcar, Açúcar e Álcool do Paraná (Consecana) com a função de promover um ambiente transparente para a negociação de preços da cana-de-açúcar entre os produtores e as indústrias, por meio da divulgação de valor de referência para a matéria-prima. Ainda, o fórum que reúne os setores produtivo e industrial para definição e divulgação dos valores de remuneração da cana básica. Ainda, por meio da Comissão Técnica de Cana-de-açúcar que a FAEP está representada junto ao Consecana.

Safra 2022/2023 - 26/01/2023

Projeção do preço da cana básica (em R$/tonelada) · Preço (121,9676 kg ATR)
Campo Esteira
PREÇO BÁSICO 116,04 129,61
PIS/COFINS - -
Total 116,04 129,61

Resolução 11/2023 - Próxima atualização: 23/02/2023


Resoluções

Caso precise resoluções de safras anteriores solicite no e-mail consecanapr@faep.com.br


Perguntas e respostas

O que é o Consecana-Paraná?

O CONSECANA-PARANÁ é um conselho que reúne representantes de produtores rurais de cana-de-açúcar e de usinas de açúcar e destilarias de etanol do Estado do Paraná. O Conselho é paritário, ou seja, o número de representantes dos produtores rurais é igual ao número de representantes das indústrias. Trata-se de uma associação civil, regida por estatuto e regulamentos próprios.

Qual o principal objetivo do Consecana-Paraná?

O principal objetivo do Conselho é divulgar valores de referência para a remuneração da cana-de-açúcar no Estado do Paraná. Os valores de referência são calculados através de metodologia transparente (pública), que foi desenvolvida pela UFPR e aprovada por um conselho paritário.

Qual a importância dos valores divulgados pelo Consecana-Paraná para o setor sucroalcooleiro paranaense?

Os valores divulgados pelo CONSECANA-PARANÁ proporcionam uma maior transparência ao mercado sucroalcooleiro paranaense através de permanente publicação: (a) dos preços médios de comercialização do açúcar e do etanol das indústrias participantes; (b) do mix de comercialização das indústrias participantes; e (c) de valores de referência para a remuneração da cana-de-açúcar.

Qual a principal utilidade dos valores divulgados pelo Consecana-Paraná?

Servir de base para a livre negociação comercial entre os produtores rurais de cana-de-açúcar e a indústria de açúcar e etanol do Estado do Paraná, podendo esses valores constar em contratos de fornecimento de cana-de-açúcar.

Qual é a regra básica que define o preço da cana-de-açúcar no sistema Consecana-Paraná?

O princípio fundamental é que o valor da cana-de-açúcar é função direta dos preços de seus derivados: açúcar comercializado no mercado interno (AMI), açúcar exportado (AME), Etanol Anidro Carburante (EAC), Etanol Hidratado Carburante (EHC), Etanol Anidro para outros fins (EAof) e Etanol Hidratado para outros fins (EHof). Isso significa que os preços da cana-de-açúcar e do conjunto dos derivados, medidos através de uma unidade comum (o ATR)
variam no mesmo sentido ao longo do tempo.

Qual a importância das informações do Consecana-Paraná para um produtor de cana-de-açúcar?

As informações divulgadas pelo CONSECANA-PARANÁ facilitam o acesso dos produtores rurais a parâmetros técnicos e econômicos definidos por um conselho paritário, que podem lhes auxiliar na negociação da produção de cana-de-açúcar com a indústria. Isso contribui para o alcance de uma justa remuneração para a sua produção uma vez que o valor da matéria-prima é estabelecido a partir dos preços de comercialização dos derivados pelas
indústrias. Outro ponto importante para os produtores rurais é que os valores de referência para a matéria-prima podem ser mencionados em contratos de fornecimento de longo prazo, o que facilita a negociação antecipada de safras futuras e o planejamento da produção de cana-de-açúcar que é uma cultura semi-perene e tem um pequeno raio de comercialização economicamente viável.

Qual a importância das informações do Consecana-Paraná para a indústria de açúcar e etanol?

As informações divulgadas pelo CONSECANA-PARANÁ facilitam a realização de contratos de fornecimento de matéria-prima, viabilizando um melhor planejamento da produção industrial e a redução dos riscos de comercialização para a indústria, uma vez que o preço da matéria-prima é estabelecido a partir dos preços de venda dos derivados (açúcar e/ou etanol). Outro ponto importante para a indústria é que o uso de critérios técnicos e econômicos mais transparentes para a formação dos preços da matéria-prima nos contratos
aumenta a confiança entre as partes (produtores rurais e indústria), facilitando o fomento à produção de cana-de-açúcar.

Quais são os valores de referência divulgados mensalmente pelo Consecana-Paraná?

O Conselho divulga mensalmente três conjuntos de informações: valores do mês, acumulados até o mês e projetados para o ano safra. Os valores do mês são: os preços médios de comercialização dos derivados, o mix de comercialização, os preços do ATR de cada produto e o preço médio do ATR do mês. Da mesma forma o Conselho divulga os preços médios de comercialização dos derivados, o mix de comercialização, os preços do ATR de cada produto e do ATR acumulados até o mês, ou seja, desde o início do ano safra (abril) até o mês. Um terceiro conjunto de informação contempla os preços projetados, no mês, da cana básica para todo o ano safra, incluindo: o preço da cana básica no campo o e o preço da cana básica na esteira.

Como se pode utilizar nos contratos os valores divulgados pelo Consecana-Paraná?

O Regulamento do CONSECANA-PARANÁ prevê três alternativas de contrato entre as indústrias e seus fornecedores: (a) o pagamento da cana-de-açúcar do fornecedor pelo valor do ATR do mês multiplicado pela quantidade de ATR entregue pelo produtor; (b) pelo valor do ATR acumulado até o mês multiplicado pela quantidade de ATR entregue pelo produtor ou ainda (c) pelo preço projetado da cana básica no mês multiplicado pela quantidade de cana-de-açúcar entregue pelo fornecedor. Aos fornecedores que optarem pelas alternativas (b) e (c) será feito um ajuste entre o valor recebido durante a safra e o preço final do ano safra, salvo se expressamente contratado o contrário. Da mesma forma, os valores recebidos durante a safra (quando a título de adiantamento) podem ou não corresponder a apenas uma parte dos valores do mês ou acumulados até o mês, que são divulgados pelo CONSECANA-PARANÁ. Aos fornecedores que optarem pela alternativa (a) ou quando expresso em contrato, nenhum ajuste de preço será devido por qualquer das partes ao final do ano-safra.

O que é ATR?

É a soma total dos açúcares contidos na cana-de-açúcar e que são, efetivamente, aproveitados no processo industrial para a produção de açúcar e etanol. No sistema CONSECANA-PARANÁ tanto a cana-de-açúcar quanto seus derivados são convertidos e expressos em quantidade de ATR (Açúcar Total Recuperável).

Quais são os parâmetros utilizados para determinar a quantidade de ATR contida na cana-de-açúcar?

No sistema CONSECANA-PARANÁ a qualidade da cana-de-açúcar é medida pela quantidade de ATR contida na matéria-prima entregue pelo produtor rural à indústria. Três parâmetros principais definem a quantidade de ATR contida na cana-de-açúcar: Pol da cana (PC), teor de fibra da cana e pureza do caldo. As Normas Operacionais do CONSECANA–PARANÁ apresentam detalhadamente como cada parâmetro deve ser medido através dos testes laboratoriais.

Como as quantidades de cada derivado são transformadas em ATR?

Através de parâmetros técnicos apresentados nas Normas Operacionais foram definidas as seguintes conversões: um quilo de açúcar Mercado Externo equivale a 1,0453quilos de ATR; um quilo de açúcar Mercado Interno equivale a 1,0495 quilos de ATR; um litro de Etanol Anidro equivale a 1,7651quilos de ATR e um litro de etanol hidratado equivale a 1,6913quilos de ATR. Desta forma as quantidades comercializadas de cada produto podem ser convertidas em quilos de ATR.

O que é o valor do ATR?

É um valor médio do ATR contido na cana-de-açúcar calculado a partir dos preços de venda, das indústrias participantes do Conselho, dos seguintes derivados: açúcar comercializado no mercado interno (AMI), açúcar exportado (AME), etanol anidro Carburante (EAC), etanol hidratado Carburante (EHC) e etanol outros fins (Eof).

O que é o valor da cana-de-açúcar?

É o produto da quantidade de ATR contida na cana-de-açúcar pelo valor do ATR. Desta forma o preço da matéria prima está diretamente ligado ao preço de venda de seus derivados. Além disso, este sistema permite que cada produtor seja remunerado pela qualidade da matéria-prima que entrega à indústria.

O que é o valor do ATR médio do mês?

É a média dos valores dos ATRs de cada produto, ponderados pela sua participação no mix de comercialização, calculado a partir dos preços médios de comercialização e do mix do mês.

O que é o valor do ATR de cada produto?

Representa o quanto cada produto pode remunerar o ATR contido na cana-de-açúcar, calculado a partir dos preços de venda do produto pelas indústrias.

O que é o valor do ATR médio acumulado até o mês?

É a média dos valores dos ATRs de cada produto, ponderados pela sua participação no mix de comercialização, calculado a partir dos preços médios de comercialização e do mix desde o início da safra (abril) até o mês.

Como e por quem são calculados os valores de referência do Consecana-Paraná?

Os valores de referência são calculados pelo Conselho através de metodologia por ele aprovada e que considera os seguintes parâmetros: preços médios dos produtos; participação da matéria-prima no preço dos derivados; rendimento industrial da cana-de-açúcar na fabricação dos derivados (em quilos de ATR por unidade do derivado) e mix de comercialização dos derivados em ATR.

Como e por quem são calculados os preços médios dos derivados da cana-de-açúcar?

Os preços médios dos produtos derivados da cana-de-açúcar são calculados a partir de pesquisa realizada pela Universidade Federal do Paraná junto às indústrias, sobre os preços e volumes de venda dos negócios realizados pelas empresas participantes. Os preços médios dos derivados são calculados por média aritmética ponderada, sendo que o fator utilizado na ponderação é o volume relacionado a cada informação de preço.

O que é a cana-básica?

É uma cana que contém 121,9676 kg de ATR por tonelada.

O que é o preço projetado da cana básica no mês para o ano safra?

É o preço médio projetado do ATR para o ano safra multiplicado por 121,9676 kg de ATR. O resultado deste produto é o preço da cana básica na esteira. O preço médio projetado para o ano safra leva em conta: os preços dos produtos e o mix de comercialização realizados até o mês e os preços e o mix projetado para o restante do ano safra. Os preços projetados, conforme método de cálculo definido pelo conselho, são avaliados nas reuniões mensais do CONSECANA e podem sofrer ajustes. Uma vez aprovados pelo conselho, os preços projetados no mês para o ano safra passam a ter vigência no mês subsequente ao de sua aprovação. Por exemplo, no final de agosto, o conselho aprova os preços projetados para o ano safra com vigência para o mês de setembro.

Por que é calculado o preço projetado da cana básica para o ano safra?

Para facultar às partes a negociação da cana-de-açúcar por este valor de referência, o que pode ocorrer quando, em comum acordo entre as partes, não se pretende determinar a quantidade de ATR contida na matéria-prima entregue à indústria.

Como são projetados os preços dos produtos?

O Conselho estima os preços do etanol hidratado e anidro no mercado interno a partir das cotações do etanol hidratado na Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&F). Para a projeção de preços das exportações de açúcar são considerados 3 valores: as cotações do produto na Bolsa de Mercadorias de Nova York, os preços médios dos contratos de exportação realizados pelas empresas participantes e a cotação do dólar na Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&F). Para a projeção de preços das exportações de etanol são considerados 2 valores: os preços médios dos contratos de exportação realizados pelas empresas participantes e a cotação do dólar na Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&F). Em seguida todos esses valores são ajustados para a condição de preço: PVU (posto veículo usina) ou PVD (posto veículo destilaria), à vista, sem impostos. Para a realização do ajuste é considerado o custo de transporte, os impostos incidentes sobre o produto, e um fator de correção dos preços para o mercado paranaense, entre outros.

Como é projetado o mix de comercialização?

O mix de comercialização das empresas participantes do CONSECANAPARANÁ projetado para o ano safra é estimado com base: (1) nas estimativas de produção dos produtos para o ano safra que são realizadas periodicamente pela ALCOPAR; (2) nos volumes comercializados até o mês do ano safra em curso com base em levantamento realizado pela UFPR; e (3) na curva de comercialização dos produtos que é estimada a partir de dados históricos das vendas realizadas pelas empresas ao longo do ano safra.

O que é o preço final do ano safra?

É a média acumulada dos 12 meses (abril a março) dos preços efetivamente praticados em cada mês do ano ponderados pelo mix de comercialização efetivamente realizado ao longo do ano.

Qual a diferença entre os preços da cana básica no campo e na esteira?

A diferença entre os preços na esteira e no campo, da ordem de 10,47% refere-se ao custo de transporte da matéria-prima do campo para a indústria, historicamente apurado pelo extinto IAA.

Quem participa e como se organiza funcionalmente o Consecana-Paraná?

Participam do CONSECANA-PARANÁ representantes dos produtores rurais (em número de 6 titulares e igual número de suplentes) indicados pela FAEP – Federação da Agricultura do Estado do Paraná – e representantes das indústrias, também em número de 6 titulares com igual número de suplentes. Dos representantes da indústria, 3 titulares e 3 suplentes são indicados pelo SIALPAR – Sindicato da Indústria de Fabricação de Alcool do Estado do Paraná e outros 3 titulares e 3 suplentes são indicados pelo SIAPAR – Sindicato da Indústria de Açúcar do Estado do Paraná. O Conselho tem um presidente e um vice-presidente, sendo um representante dos produtores e um dos industriais, alternando-se anualmente na presidência e vice. Ambos são eleitos para um mandato de dois anos dentre os membros titulares do Conselho. Há ainda um secretário escolhido pelo Conselho que o assessora administrativamente, além de dois Assessores em nível técnico. As decisões do CONSECANA-PARANÁ são tomadas por maioria de votos e publicadas através de resoluções. As reuniões só ocorrem com a presença de metade mais um de seus membros.
As reuniões mensais são públicas, mas apenas os membros efetivos têm direito ao voto.

A indústria é obrigada a praticar o preço do Consecana-Paraná?

Não. O modelo do CONSECANA-PARANÁ é de livre adesão tanto para produtores rurais como para indústrias. Além disso, mesmo que a empresa participe do Conselho o seu preço de referência pode ser diferente do preço médio estadual de referência e do preço praticado por outras empresas, porque o seu mix de produção e de comercialização é diferente.

Como a indústria pode adequar os valores médios de referência do estado para a sua realidade individual?

Uma indústria pode calcular o preço médio do seu ATR tomando os preços médios de comercialização divulgados pelo Conselho e ponderando-os pelo mix de comercialização da empresa individual.

Quando e onde são divulgadas as informações mensais do Consecana-Paraná?

As informações são divulgadas através de resoluções logo após a reunião do Conselho que ocorre, em geral, na última semana do mês. As informações são publicadas no site da ALCOPAR (www.alcopar.org.br) e da FAEP (www.sistemafaep.org.br) bem como nos boletins das entidades e das empresas participantes, além de outros veículos de comunicação em geral.


Manual Consecana


Workshop

Galeria | Flickr

  • AX4A0226
  • AX4A0169
  • AX4A0178
  • AX4A0166
  • AX4A0247
  • AX4A0280
  • AX4A0224
  • AX4A0200
  • AX4A0162

Boletim no Rádio