Sistema FAEP/SENAR-PR

Preço da soja segue em alta

Segundo Cepea, valor da oleaginosa alcançou o maior patamar real desde julho de 2016

A demanda externa pela soja brasileira segue firme, principalmente por parte da China. E agora que os estoques domésticos estão menores, os prêmios de exportação voltaram a subir. Além disso, a taxa de câmbio dólar/Real é a maior desde a implementação do Plano Real. Com isso, os preços domésticos da soja seguem em alta, voltando aos maiores patamares desde julho/16, em termos reais (IGP-DI ago/18). O interesse de venda é maior para exportação, visto que o valor está acima do oferecido pelas indústrias domésticas. Desta forma, enquanto vendedores consideram o cenário atual positivo, compradores domésticos estão com dificuldades na aquisição da matéria-prima. Mesmo com os preços elevados, a liquidez interna tem sido limitada pelos altos valores de frete, que subiram significativamente nas últimas semanas. Entre 6 e 14 de setembro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) avançou significativos 2,8%, a R$ 96,95/saca de 60 kg na sexta-feira, 14. O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 3,2%, a R$ 90,55/sc de 60 kg – ambos são os maiores desde jul/16, em termos reais.

Fonte: Cepea

Imprensa

Composto por jornalistas e diagramadores, o Departamento de Comunicação do Sistema FAEP/SENAR-PR desenvolve a divulgação das ações da entidade. Entre suas tarefas, uma é o relacionamento com a imprensa, incluindo a do setor agropecuário e também os veículos

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • IMG_7804
  • IMG_7797
  • IMG_7803
  • IMG_7790
  • IMG_7793
  • IMG_7787
  • IMG_7775
  • IMG_7783
  • IMG_7771

Boletim no Rádio