Sistema FAEP/SENAR-PR

Aluna supera deficiência auditiva e se forma em curso do SENAR-PR

Além do apoio da família, Maria Gabrieli contou com professora de Libras, disponibilizada pelo Sindicato Rural de Campina da Lagoa

A vontade de aprender fez com que Maria Gabrieli Andrade Campaner, 16 anos, superasse suas limitações. A jovem, que é deficiente auditiva, se inscreveu no curso “Introdução à informática”, do Programa de Inclusão Digital, do SENAR-PR. O módulo era voltado a pessoas que não têm necessidades especiais, mas, ainda assim, Maria Gabrieli foi adiante e se formou com louvor. O curso foi promovido em agosto do ano passado, pelo Sindicato Rural de Campina da Lagoa, na região Centro-Oeste do Paraná.

A jovem é aluna do 9º ano do Colégio Campina da Lagoa e nunca tinha tido a oportunidade de fazer um curso fora da escola. Segundo a família, Maria Gabrieli sempre cobrava que queria aprender mais. Quando a mãe e a irmã souberam que haveria o curso oferecido pelo sindicato rural, pensaram que poderia ser uma boa oportunidade de a estudante começar a intensificar seu aprendizado.

“A Gabi sempre quis muito aprender. Quando surgiu o curso, pensamos logo em uma maneira de ela poder participar”, diz Ana Caroline Andrade Campaner, irmã da aluna.

A mãe, Rosângela Pereira de Andrade, também se inscreveu no curso e acompanhou a filha nas aulas. Em alguns dias, Maria Gabrieli também teve a companhia de uma professora de Língua Brasileira de Sinais (Libras), disponibilizada pelo sindicato rural.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Campina da Lagoa, Célio Antonio Bueno, uma das políticas da entidade é criar possibilidades para que todos sejam atendidos, independentemente de suas limitações. “A gente tem tentado dar todo o apoio necessário para atender a comunidade. O nosso perfil é esse, dentro da nossa possibilidade, atender a população e levar capacitação e conhecimento”, afirma.

Convivência saudável

Segundo a instrutora do SENAR-PR Tania Dirlene Ratz Gerstner, a aluna especial aproveitou integralmente o curso, tanto em relação ao aprendizado, quanto no que diz respeito ao convívio com os colegas.

“Ela era uma participante como os outros alunos. Visualmente, ela acompanhava as apresentações no data-show e a mãe e a professora de Libras iam ajudando, se comunicando com ela. Ela se deu bem com todo mundo, inclusive alguns participantes já a conheciam”, ressalta a instrutora.

De acordo com a família, a adaptação de Maria Gabrieli ao curso foi total. Agora, ela está apta a aplicar os conhecimentos adquiridos – em programas como Word e Excel, além de navegação de internet – em pesquisas e trabalhos escolares. “No começo, pensávamos que minha mãe é quem ia apoiar a Gabi, mas, para a nossa surpresa, a Gabi teve muita facilidade com a tecnologia e ela quem acabou ajudando a minha mãe”, conta Ana Caroline.

Por meio da linguagem de sinais, Maria Gabrieli disse que não pretende parar por aí. O próximo desafio é fazer o programa Jovem Agricultor Aprendiz (JAA). Ela também contou o que achou do curso: “Para o surdo, é muito complicado participar de cursos, mas fui muito bem recepcionada por todos e, com esse apoio, estou muito motivada a participar cada vez mais”.

Leia mais notícias do agronegócio no Boletim Informativo.

Felippe Aníbal

Jornalista profissional desde 2005, atuando com maior ênfase em reportagem para as mais diversas mídias. Desde 2018, integra a equipe de comunicação do Sistema FAEP/SENAR-PR, onde contribui com a produção do Boletim Informativo, peças de rádio, vídeo e o produtos para redes sociais, entre outros.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio