Sistema FAEP/SENAR-PR

Energia elétrica sobe 93,4% até julho

Custo da produção de frangos sofre o maior impacto

Estudos realizados pela FAEP vêm demonstrando o impacto da energia elétrica no bolso dos avicultores. Com o novo reajuste de 15,09% na tarifa, autorizado em junho desse ano, a energia fecha o semestre 93,4% mais cara em relação ao ano passado.

A energia elétrica utilizada para produzir um lote de frangos em Dois Vizinhos num galpão 100×12 metros, automático, representava 5,52% do custo total de produção em 2014. Após os reajustes nas tarifas, subiu para 9,70%.

Analisando separadamente o custo variável de produção do mesmo galpão, os estudos revelam que o impacto da energia elétrica passará de 8,5% em 2014 para 15,4% em julho desse ano.

Na composição dos custos variáveis a energia elétrica ocupa o segundo lugar, superada apenas pela mão de obra, que representa 19,5%. Se as tarifas continuarem subindo, o custo da automação será um limitante para a produção avícola, inviabilizando o investimento em tecnologias.

 

luz3

 

 
Fonte: FAEP/COPEL. Elaboração: DTE/FAEP.

Sistema FAEP

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio