Sistema FAEP/SENAR-PR

Mapa credencia laboratório no Paraná para exames de mormo

FAEP encaminhou ofício ao governo federal ressaltando os impeditivos para a equideocultura estadual em função do custo laboratorial

O Paraná ganhou mais um laboratório para a realização de exames e emissão de laudos de mormo, doença infectocontagiosa que ataca equídeos. Após a FAEP enviar ofício ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) solicitando o credenciamento de três laboratórios paranaenses que já haviam enviado a documentação necessária, o Mercolab, de Cascavel, na região Oeste, recebeu o aval. A empresa aguarda apenas a publicação da autorização no site do Mapa.

“O Mapa enviou um e-mail confirmando que a documentação está deferida. Estamos aguardando apenas a publicação no site [do Ministério]. De forma paralela, já estamos providenciando a compra de antígeno e outros insumos. Estamos nos estruturando para quando começar a demanda”, destaca a médica veterinária do Mercolab, Joice Aparecida Leão.

Além do Mercolab, a FAEP, por meio do ofício, solicitou o credenciamento do VP Laboratório, localizado em Curitiba, e o laboratório Campos Imagem de Diagnóstico Veterinário, de Londrina. Hoje, o Paraná conta com 5,3% da tropa brasileira, com o segundo maior plantel das raças Quarto de Milha e Crioula, com 70 mil animais registrados.

O credenciamento dos laboratórios é importante para que o produtor paranaense possa cumprir a Portaria nº 22, de 16 de março de 2018, do Mapa, e da Portaria nº 117, de 4 de maio de 2018, da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). Hoje, o custo para a realização dos exames laboratoriais, composto pelo serviço veterinário de coleta de material, envio de amostras e tempo de espera do retorno dos laudos, é impeditivo para uma série de questões, como o comércio de animais, participação em eventos, feiras agropecuárias e atividades desportivas e até mesmo para a segurança pública, pois dificulta a movimentação das tropas militares necessárias ao patrulhamento.

Atividade

Se antes os animais tinham suas principais funções ligadas às lides do campo, como o transporte de peões e cargas e/ou como força de tração, atualmente a equideocultura ocupa posição de destaque. A atividade apresenta significativo crescimento no Paraná. O valor da comercialização de cavalos destinados ao lazer e esporte registra crescimento de 26% entre os anos de 2014 e 2016, atingindo a cifra de R$ 150 milhões de acordo com dados do Departamento de Economia Rural do Estado do Paraná (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab).

Ainda em relação a equideocultura, o Estado registra aumento de 41% no número de eventos, segundo dados das associações das três principais raças presentes em território paranaense (Crioulo, Mangalarga e Quarto de Milha) em 2017.

Confira a matéria de áudio e saiba mais sobre o mormo equino:

Carlos Filho

Jornalista do Sistema FAEP/SENAR-PR. Desde 2010 trabalha na cobertura do setor agropecuário (do Paraná, Brasil e mundial). Atualmente integra a equipe de Comunicação do Sistema FAEP/SENAR-PR na produção da revista Boletim Informativo, programas de rádio, vídeos, atualização das redes sociais e demais demandas do setor.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • AX6A0591
  • AX6A0558
  • AX6A0509
  • AX6A0629
  • AX6A0611
  • AX6A0606
  • AX6A0623
  • AX6A0347
  • AX6A0333

Boletim no Rádio