Sistema FAEP/SENAR-PR

O legítimo mel do Paraná

Criadores de abelhas sem ferrão de Mandirituba conseguem autorização para comercializar produto com alto valor agregado

Na língua tupi a palavra “Mandirituba” significa “muita abelha”, mais precisamente muita abelha do tipo Manduri, espécie nativa que não possui ferrão e vem sendo criada com fins comerciais no município que leva esse nome na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), onde está localizada a Associação de Meliponicultores de Mandirituba (Amamel).

A criação de meliponídeos (abelhas sem ferrão) ganhou um novo horizonte no final do ano passado, quando a Amamel obteve a liberação do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a rotulagem do mel produzido pelos seus associados. Segundo o presidente da entidade, Marcos Dalla Costa, o processo para a obtenção da rotulagem demorou quatro anos e vem somar-se a outra vitória do setor melífero do Estado. Recentemente, o Núcleo dos Apicultores da Região Suleste do Paraná (Napisul) obteve o certificado do Serviço de Inspeção Federal (SIF), que permite a comercialização dos seus produtos.

Clique aqui para ler a matéria completa

André Amorim

Jornalista desde 2002 com passagem por blog, jornal impresso, revistas, e assessoria política e institucional. Desde 2013 acompanhando de perto o agronegócio paranaense, mais recentemente como host habitual do podcast Boletim no Rádio.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio