Sistema FAEP/SENAR-PR

PIB do agronegócio sobe pelo quarto mês seguido, aponta Cepea

Dados de abril sinalizaram que crescimento foi de 0,36%, o que fez o acumulado dos quatro primeiros meses ficar positivo em 3,78%, comparado com período equivalente de 2019

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio subiu pelo quarto mês consecutivo, divulgou nesta terça-feira (7) o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Os números apontam que em abril o crescimento do setor foi de 0,36%, fechando a alta dos primeiros quatro meses de 2020 em 3,78%, comparado ao período equivalente de 2019. O levantamento conta o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Os dados apontam que o agronegócio sofreu com os impactos econômicos da pandemia de covid-19, já que esse foi o menor crescimento mensal registrado em 2020. Esmiuçando o setor é possível perceber uma leve retração no setor o agrícola, que teve uma queda de 0,19% em abril, mas ainda assim acumula avanço de 1,72% no ano. Já o setor pecuário cresceu 1,45% no mês e soma expressiva alta de 8,01% no ano.

Conforme os pesquisadores do Cepea, o segmento primário, que inclui a produção agropecuária em si, manteve o destaque em termos de crescimento, com alta de 2,21% em abril. Já a agroindústria, setor que foi afetado pelas medidas relacionadas à covid-19, apresentou recuo de 1,08% no mês.

O Cepea informa que o resultado positivo da produção primária agrícola (soja e milho, principalmente) reflete os preços mais elevados na comparação entre os períodos e a expectativa de maior produção na safra atual. Já para o segmento primário pecuário (produtores de proteínas animais), o resultado positivo reflete sobretudo os preços elevados em 2020, com destaque para boi gordo, suínos e ovos.

“Em partes, o elevado patamar dos preços pecuários nos primeiros meses de 2020 ainda refletiu um efeito inercial da forte elevação ao longo de 2019, relacionada à Peste Suína Africana”, divulgou o Cepea. “Destaca-se que, em abril, os preços pecuários, especificamente da suinocultura, da avicultura e do leite, foram pressionados por medidas de isolamento social estabelecidas pelos governos”, completou a entidade de pesquisa.

Queda na agroindústria

O segmento agroindustrial foi pressionado pela queda no ramo agrícola em abril, conforme a pesquisa. “Sendo abril o primeiro mês marcado em sua totalidade pelos efeitos das medidas relacionadas à covid-19, houve forte queda de produção para atividades como móveis e produtos de madeira, biocombustíveis, têxteis, vestuário e bebidas”, avaliam os pesquisadores.

A agroindústria de processamento de proteínas animais, no entanto, continuou crescendo em abril, sustentada pela indústria do abate. “Em abril, a demanda doméstica por carne bovina manteve-se estável e as exportações mantiveram-se aquecidas, especialmente para a China”, informou o Cepea. “No caso das carnes suína e de frango, houve retração da demanda doméstica com o fechamento ou a redução de atividades de restaurantes e outros estabelecimentos de alimentação, mas as exportações também se mantiveram aquecidas”, detalhou o centro de estudos.

Para conferir mais detalhes sobre a metodologia do estudo e a publicação completa, acesse o site do Cepea.

Antonio Senkovski

Repórter e produtor de conteúdo multimídia. Desde 2016, atua como setorista do setor agropecuário (do Paraná, Brasil e mundial) em veículos de comunicação. Atualmente, faz parte a equipe de Comunicação Social do Sistema FAEP/SENAR-PR. Entre as principais funções desempenhadas estão a elaboração de reportagens para a revista Boletim Informativo; a apresentação de programas de rádio, podcasts, vídeos e lives; a criação de campanhas institucionais multimídia; e assessoria de imprensa.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • AX6A0944
  • AX6A0950
  • AX6A0940
  • AX6A0937
  • AX6A0922
  • AX6A0931
  • AX6A0870
  • AX6A0852
  • AX6A0867

Boletim no Rádio