Sistema FAEP/SENAR-PR

Iapar registra cultivares crioulas de mandioca

Iapar registra cultivares crioulas de mandioca. O registro atende uma antiga demanda de cooperativas, bancos e profissionais da assistência técnica e extensão rural.

IMG_8864De acordo com o pesquisador, o registro atende uma antiga demanda de cooperativas, bancos e profissionais da assistência técnica e extensão rural. Os três materiais são muito apreciados em função de suas qualidades agronômicas e boa produtividade, mas não podiam figurar em projetos de custeio e de seguro agrícola justamente porque não constavam no Registro Nacional de Cultivares (RNC), do MAPA.

O Iapar permanecerá como instituição mantenedora — entidade encarregada de preservar as características genéticas e garantir o fornecimento de material propagativo – dessas cultivares crioulas.

A , também conhecida como “Olho Junto”, em virtude de ter gemas muito próximas, é indicada para solos arenosos, principalmente na área de abrangência do Arenito Caiuá (Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo). É tardia, com colheita preferencial após 15 meses de ciclo e proporciona bom desempenho na obtenção de fécula e farinha. Devido ao elevado teor de ácido cianídrico, é inapropriada para consumo fresco.

Também destinada ao uso industrial, a é mais adaptada ao cultivo em solos com maior teor de argila, embora também possa ser plantada em terrenos arenosos, desde que bem manejados. Mais precoce, pode ser colhida de 12 a 24 meses.

Com baixos teores de ácido cianídrico, a — também conhecida como Fécula Branca — pode ser consumida fresca, cozida. Apresenta bom desenvolvimento, tanto em solos arenosos como argilosos, e é colhida entre 12 a 24 meses.

Segundo maior produtor brasileiro de mandioca – o primeiro é o Pará -, foram cultivados no Paraná pouco mais de 160 mil hectares na última safra, que renderam uma produção de 3,8 milhões de toneladas. As regiões de Umuarama, Paranavaí, Toledo e Campo Mourão figuram como os maiores núcleos de produção de mandioca no estado.

Fonte: Instituto Agronômico do Paraná 21/04/2014

DETI

O Departamento de Tecnologia da Informação (Deti) do Sistema FAEP/SENAR-PR, formado por profissionais da área, é responsável pela gestão tecnológica do portal da entidade, desde o design, primando pela experiência do usuário, até suas funcionalidades para navegabilidade.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • AX6A0944
  • AX6A0950
  • AX6A0940
  • AX6A0937
  • AX6A0922
  • AX6A0931
  • AX6A0870
  • AX6A0852
  • AX6A0867

Boletim no Rádio