Sistema FAEP/SENAR-PR

Lote de leite da marca Dália terá que ser recolhido no RS

PORTO ALEGRE – O Centro Estadual de Vigilância em Saúde, da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul, determinou a interdição cautelar e o recolhimento de um lote de leite semidesnatado da marca Dália, depois que foi identificada a presença de hipoclorito de sódio em uma amostra do produto. A substância é empregada na produção de água sanitária e utilizada na limpeza de equipamentos.

Em nota, a Dália Alimentos, controlada pela cooperativa Cosuel, com sede em Encantado (RS), informou que um lote tem em média 6 mil litros e que já está recolhendo o produto interditado. O lote considerado impróprio para consumo é o 5V4, com fabricação em 14 de agosto e vencimento em 14 de dezembro deste ano. A unidade de laticínios da empresa fica no município de Arroio do Meio.

Segundo a Secretaria da Saúde, o produto foi analisado pelo Laboratório Central do Estado depois que um consumidor de Santa Maria relatou alteração no sabor, mas depois disto nenhuma outra reclamação foi registrada. O resultado da análise foi encaminhado ao Ministério da Agricultura, que notificou a empresa no dia 30 de outubro.

A Dália Alimentos disse que em um processo de envase industrial “falhas mecânicas e humanas são possíveis”, mas afirmou que atua “com o propósito de evitá-las, num trabalho conjunto de nossa equipe de controle de qualidade e da fiscalização do Ministério da Agricultura”. A empresa acrescentou que nenhuma anormalidade foi detectada nos testes realizados durante o envase do lote interditado.

A Secretaria da Saúde informou que até agora não há indício de que o problema tenha sido provocado por algum tipo de fraude no beneficiamento do produto. Desde 2013 o Ministério Público do Estado vem investigando diversos esquemas de adulteração de leite in natura no Rio Grande do Sul, na chamada operação “Leite Compen$ado”. Até agora 20 pessoas já foram presas e 43 denunciadas, entre produtores, transportadores e representantes de indústrias. Destas, seis já foram condenadas em primeiro grau pela Justiça.

Fonte: Vaor Econômico

André Amorim

Jornalista desde 2002 com passagem por blog, jornal impresso, revistas, e assessoria política e institucional. Desde 2013 acompanhando de perto o agronegócio paranaense, mais recentemente como host habitual do podcast Boletim no Rádio.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio