Sistema FAEP/SENAR-PR

Mandioca: escoamento rápido para evitar o escurecimento

Indústrias transformadoras da raiz estão localizadas próximas às principais regiões produtoras do Estado

O processo de escurecimento enzimático, que provoca a deterioração do produto, define o ritmo de escoamento da mandioca no Paraná. Para evitar transtornos e perdas, a raiz é comercializada praticamente de forma simultânea com a colheita, que ocorre a partir de oito meses até 24 meses (1º ou 2º ciclo), em função de cultivar, preço, necessidade de caixa, clima, entre outros aspectos.

O período mais intenso de comercialização ocorre entre abril e agosto. Para tornar a logística do produto eficiente, as indústrias (fecularias e farinheiras) estão localizadas próximas as principais regiões produtoras do Estado. O Noroeste responde por 60% da produção estadual, sendo Paranavaí a principal microrregião de cultivo. Na segunda colocação do ranking está o Oeste, com 12% da produção.

Leia a matéria completa.

Antonio Senkovski

Repórter e produtor de conteúdo multimídia. Desde 2016, atua como setorista do setor agropecuário (do Paraná, Brasil e mundial) em veículos de comunicação. Atualmente, faz parte a equipe de Comunicação Social do Sistema FAEP/SENAR-PR. Entre as principais funções desempenhadas estão a elaboração de reportagens para a revista Boletim Informativo; a apresentação de programas de rádio, podcasts, vídeos e lives; a criação de campanhas institucionais multimídia; e assessoria de imprensa.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio