Sistema FAEP/SENAR-PR

Produtores de feijão do PR estimam colher menos nesta safra

Para compensar, o preço reagiu.
Ainda tem feijão plantado no campo e o grão que chega à indústria está com preço bom.

No Paraná, a saca de 60 quilos do feijão carioca é vendida por, no mínimo, R$ 200. Dependendo da qualidade do produto, o preço pode chegar a R$ 230, 20% a mais que na última safra.

Em compensação, a produção diminuiu cerca de 4% no estado. Na safra passada, 336 mil toneladas de feijão saíram das lavouras paranaenses, agora, a expectativa é colher 13 mil toneladas a menos.

O engenheiro agrônomo Jhonatan Pontarollo explica que o feijão acabou perdendo espaço para a soja e o milho e a chuva em excesso também atrapalhou.

Em uma cooperativa, a perda vai ser de 30%. No estoque, onde normalmente nesta época do ano a área deveria estar cheia de sacos de feijão, o produto ocupa só um cantinho do barracão. "Além de ter plantado menos, o clima agora não dá condição de colher", explica Everson Lugarezi, gerente da cooperativa.

O Paraná é o principal produtor de feijão da primeira safra, responde por quase 20% da produção nacional.

O produtor Wilhem Bowmann pretendia colher duas toneladas e meia de feijão por hectare, mas o tempo instável acabou atrapalhando os planos e mesmo com o preço em alta, ele diz que ainda não dá pra ficar tranquilo.

Fonte: G1 – 04/03/2013

Sistema FAEP

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio