Sistema FAEP/SENAR-PR

Cepea: preço do leite sobe em janeiro após quatro quedas seguidas

A valorização se deve à oferta limitada e ao aumento da competição entre empresas para assegurar matéria-prima

Os preços do leite voltaram a subir na médio Brasil, após quatro meses consecutivos de quedas, entre agosto e dezembro do ano passado. O acompanhamento de mercado feito pelos pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP) mostra que a média Brasil líquida de janeiro (referente ao leite captado em dezembro) foi de R$ 1,2836/litro, aproximadamente 4% (ou 5 centavos) acima do valor registrado no mês anterior.

Os pesquisadores observam que a alta foi mais intensa nos estados do Sul do Brasil, “mas, por outro lado, no Sudeste, os preços se mantiveram praticamente estáveis. A valorização do leite no campo esteve atrelada à oferta limitada e ao aumento da competição entre empresas para assegurar matéria-prima.”

Segundo eles, os custos de produção subiram justamente no último trimestre do ano, “período em que a receita do pecuarista recuou – o que freou novos investimentos”. Na avaliação dos pesquisadores, as assimetrias de informações e as ações especulativas diminuíram a confiança de produtores em seguir aumentando a produção, o que limitou a oferta em janeiro. “Além disso, há que se considerar que o excesso de chuvas no Sul e a escassez no Centro-Oeste também impactaram a atividade.”

A expectativa para fevereiro, dizem os pesquisadores, é de que os preços do leite aumentem ainda mais, uma vez que, durante janeiro, as empresas acirraram a disputa por fornecedores e elevaram os patamares de negociação. “Além disso, os mercados do leite spot (negociação entre indústrias) e do leite UHT (longa-vida), importantes direcionadores do preço no campo, também reagiram”.

No primeiro mês de 2019, a maior demanda das indústrias pelo leite spot impulsionou sua valorização em 37,6% na média de Minas Gerais. No caso do UHT, o preço médio recebido pelas indústrias no estado de São Paulo registrou alta acumulada de 6,5% de 2 a 29 de janeiro.

Nova metodologia

A partir de janeiro de 2019, os preços médios do leite ao produtor passaram a ser calculados pelo Cepea com base em uma nova metodologia. As principais mudanças são: coleta de dados desagregada por produtor; nova nomenclatura para preços mínimos e máximos, que passam a ser “preço médio do menor estrato de produção (maior que 200 litros de leite por dia)” e “preço médio do maior estrato de produção (maior que 2.000 litros de leite por dia)”; novo cálculo das médias estaduais e da “Média Brasil”, que passam a ser ponderadas pelo volume da amostra.

Fonte: Revista Globo Rural

Bruna Fioroni

Graduada em Comunicação Social – Jornalismo, trabalhou na cobertura do setor agropecuário e comunicação governamental no Mato Grosso do Sul. Tem experiência como social media e com marketing digital. Atualmente trabalha como jornalista no Sistema FAEP/SENAR-PR.

2 comentários

  • Palhaçada aqui na minha cidade o leite de caixinha subiu em média 1 real e pq o leite do produtor só subiu 0,20 centavos uma vergonha essa nossa conseleite

    • Boa Dia Sr. Alan,
      o Conseleite acompanha o movimento do mercado e faz sugestão de um preço de referência.
      Mas, o preço final é definido pelas indústrias.
      Mas, seguimos acompanhando o mercado.
      No mais, seguimos à disposição.

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio