Sistema FAEP/SENAR-PR

Novo Zarc indica as melhores épocas para o cultivo de uva

Mapa publicou portarias que trazem parâmetros do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura da fruta no Paraná

Em abril deste ano, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou Portaria 34/2019 e Portaria 35/20019 que trazem os parâmetros do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura da uva no Paraná. O Zarc é importante, não apenas para nortear as melhores épocas da produção, mas também porque é exigido o seu cumprimento para os produtores rurais que utilizam crédito agrícola, seguro rural ou o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). Aqueles produtores que não seguem as datas previstas no Zarc – seja na uva ou em qualquer outra cultura – não são indenizados no caso de um sinistro climático.

A metodologia do levantamento das épocas com menor risco de cultivo leva em conta uma série histórica de registros climatológicos. A nova metodologia, desenvolvida pela Embrapa, possibilitou identificar os municípios e períodos de brotação da videira com riscos climáticos agrupados em três níveis: 20%, 30% e 40%.

O risco de 20%, por exemplo, significa que em 80% dos anos avaliados as condições climáticas e a quantidade de água foram favoráveis a produção da videira. Além disto, foram diferenciadas as duas safras realizadas na região, ao longo do mesmo ano agrícola, representando melhor a realidade do campo.

No município de Marialva, na região Noroeste, por exemplo, conhecida como “Capital da Uva Fina”, o melhor período de brotação na primeira safra, de acordo com o Zarc, é de 21 de junho até 31 de outubro. Neste intervalo existe 80% de probabilidade das plantas encontrarem as melhores condições de brotação e 20% de chance de enfrentarem condições climáticas adversas.

Para o produtor de uva e agrônomo Werner Genta, de Marialva, a metodologia utilizada para calcular os parâmetros do Zarc foi positiva. “Já houve zoneamentos antigos que não retratavam a realidade do campo. Desta vez o pessoal [do Ministério] veio até Marialva e casamos a experiência deles junto com a nossa realidade de produção. Vejo que deixou de ser um trabalho acadêmico e computacional, que trabalha com dados climáticos, para conversar e entender as especificidades de cada
região”, observou.

Valor agregado

O Paraná é o 5º maior produtor de uva do Brasil, segundo dados de 2017 (último dado disponível) do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento (Seab). Naquele ano, o Estado produziu 53,6 mil toneladas de uva em uma área de 3,6 mil hectares, que correspondeu a um Valor Bruto de
Produção (VBP) de R$ 195 milhões. Ainda, a uva responde a apenas 3,5% da área destinada à fruticultura no Estado, mas representa 11% do VBP deste setor, o que indica um produto com alto valor agregado.

Leia mais notícias sobre o agronegócio no Boletim Informativo.

Antonio Senkovski

Repórter e produtor de conteúdo multimídia. Desde 2016, atua como setorista do setor agropecuário (do Paraná, Brasil e mundial) em veículos de comunicação. Atualmente, faz parte a equipe de Comunicação Social do Sistema FAEP/SENAR-PR. Entre as principais funções desempenhadas estão a elaboração de reportagens para a revista Boletim Informativo; a apresentação de programas de rádio, podcasts, vídeos e lives; a criação de campanhas institucionais multimídia; e assessoria de imprensa.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.53.29
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.53
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.52
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.07
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.09
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.11
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.05
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.52.02
  • WhatsApp Image 2022-04-27 at 13.51.57

Boletim no Rádio