Sistema FAEP/SENAR-PR

Mais de 4,1 mil produtores demonstram força e união do agro do Paraná

Encontro Estadual de Líderes Rurais destacou a necessidade de o setor caminhar junto

O setor agropecuário do Paraná deu mais uma mostra de sua união. Mais de 4,1 mil produtores e produtoras rurais participaram do Encontro Estadual de Líderes Rurais 2023, promovido pelo Sistema FAEP/SENAR-PR em 1º de dezembro, no Centro de Convenções Expotrade, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Prestigiado por diversas lideranças políticas, o evento reforçou a importância de todos os elos do setor produtivo estarem juntos em defesa do meio rural. A iniciativa estimulou que a coesão no campo seja ainda maior e, de quebra, ilustrou a relevância da formação de novas lideranças.

Confira as fotos do Encontro Estadual de Líderes Rurais 2023:

AX4A0352

Logo no discurso de abertura, o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, mencionou os desafios enfrentados pelo setor em âmbitos estadual e federal – e que requerem que agricultores e pecuaristas estejam unidos. No plano nacional, o líder mencionou temas como o Marco Temporal da demarcação de terras indígenas e a tentativa de órgãos federais de tentar multar produtores que têm propriedades rurais em área de Mata Atlântica, ignorando o que estabelece o Código Florestal.

O presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, no discurso de abertura do evento

Em nível estadual, Meneguette destacou as condições de abandono da malha rodoviária do Estado, que já deveriam estar sob administração de concessionárias. As antigas concessões venceram em novembro de 2021 e, desde então, as estradas permanecem sem manutenção e serviços preventivos. A deterioração das vias vem causando dificuldades para escoar a produção agropecuária e implicando em prejuízos para o setor rural e a economia estadual. Para o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, são tempos de resistência, o que só será possível a partir da convergência de forças do setor produtivo.

Estamos atentos aos desafios que se interpõem ao nosso ofício de produzir alimento para abastecer o Brasil e o mundo. A nossa união é fundamental, pois a defesa dos produtores rurais começa na base, lá dentro da porteira, na roda de conversa no sindicato rural, nas reuniões das comissões técnicas e na qualificação por meio dos cursos do SENAR-PR. Posteriormente, podemos auxiliar nossos representantes políticos. Afinal, o setor é extremamente sujeito a decisões dos governos municipais, estadual e federal.

Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR

O que o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR diz ilustra bem o sistema de representatividade sindical. Em âmbito municipal, os produtores rurais podem – e devem – levar seus anseios e demandas ao seu sindicato rural. A partir das necessidades e reivindicações captadas pelas entidades locais, cabe à FAEP estabelecer e/ou articular políticas em nível estadual, inclusive por meio da interlocução com agentes públicos, como deputados, secretários e com o próprio governador, além de órgãos públicos. Se os temas de atuação forem de nível nacional, a FAEP encaminha as pautas à Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e aciona deputados federais e senadores do Paraná.

Por meio dessa rede, o Paraná já deu exemplos de cidadania e de participação. Em nível estadual, o caso mais recente foi o movimento pelo qual agricultores e pecuaristas, organizados por sindicatos e pela FAEP, conseguiram evitar a taxação de produtos agropecuários proposta pelo governo do Paraná. No plano nacional, pode-se mencionar a articulação para derrubar os vetos da presidência ao Marco Temporal, aprovado pelo Congresso Nacional.

Em todas as esferas

A representatividade em todas as esferas esteve demonstrada ao logo do Encontro Estadual de Líderes Rurais. O evento reuniu agentes públicos, como o vice-governador Darci Piana, os ex-governadores Cida Borghetti e Beto Richa (que, atualmente, também exerce mandato de deputado federal), o senador Sergio Moro, os deputados federais Pedro Lupion e Tião Medeiros e os deputados estaduais Luiz Claudio Romanelli e Fabio Oliveira, além de outras autoridades, como prefeitos, vereadores, presidentes de sindicatos rurais e representantes de diversas instituições. Nos discursos, evidenciaram-se a importância da articulação de todos para a defesa das pautas dos produtores rurais.

Presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), o deputado Lupion destacou a importância de que o setor rural esteja unido, para que não haja retrocesso em conquistas recentes. Em um discurso contundente, ele criticou o governo federal e o Supremo Tribunal Federal (STF), conclamando agricultores e pecuaristas a somarem forças. Ao mesmo tempo, Lupion garantiu que os parlamentares da bancada ruralistas continuarão firmes no propósito de defender o setor.

[Há] muita ideologia envolvida, muita falácia de pessoas que não sabem o que é o dia a dia no campo. O direito à propriedade está sendo relativizado. Cumprir a Constituição já não vale nada. Faremos a defesa intransigente do produtor brasileiro.

Pedro Lupion, deputado federal e presidente da FPA

Bastante aclamado pelos agropecuaristas que lotaram o evento, Moro engrossou o coro. Destacou que apesar de sua importância para a economia do país, o setor agropecuário se tornou alvo de ataques. “O agro fez o Brasil levantar, mesmo diante das dificuldades. A gente não pode ser tolo de jogar fora essa oportunidade. Não é dar privilégio. É reconhecer o trabalho em benefício do nosso país. Isso precisa ser refletido em Brasília”, discursou.

Convidada de honra do evento, a ex-ministra e senadora Tereza Cristina proferiu uma palestra-magna em que também ressaltou a importância da união do setor. Ela avaliou que o Código Florestal, aprovado há mais de 10 anos, “é o melhor do mundo”. No entanto, apontou a necessidade que dispositivos previstos por essa legislação, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Programa de Regularização Ambiental (PRA) sejam, efetivamente, implantados. A senadora também destacou que é imprescindível que o setor forme novos líderes.

“Vamos ficar vigilantes, fiscalizando, embasando deputados e senadores, para que possamos ganhar nossas batalhas”, disse. “Temos visto um déficit de lideranças. (…) Nós precisamos formar jovens preparados, com liderança, para que nós possamos ter gente nos substituindo daqui a pouco”, reforçou. Além de Tereza Cristina, os participantes assistiram a uma palestra sobre liderança, apresentada pelo empresário, ex-deputado e comunicador Marcelo Almeida.

PSS

Neste contexto, em 2018, o Sistema FAEP/SENAR-PR lançou o Programa de Sustentabilidade Sindical (PSS), para estimular e criar instrumentais para que os sindicatos possam pensar em soluções e estratégias que garantam sua autonomia, inclusive financeira – principalmente após o fim da contribuição sindical compulsória, extinta pela Reforma Trabalhista. Um dos braços mais fortes do programa é a formação de novas lideranças.

Só neste ano, o PSS promoveu dez edições do Encontro Regional de Líderes Rurais. Além disso, o programa contemplou cursos de Liderança Rural (que tem duas fases, além de um módulo internacional) e o workshop Agro Pro – Produtor Protagonista. No total, foram 11 ações previstas, com o objetivo de estimular a surgimento de novos líderes.

Uma das estrelas desse movimento é a Comissão Estadual de Mulheres da FAEP (CEMF). Criada há três anos, o colegiado já soma a participação ativa de mais de 2 mil produtoras rurais. Em uma mobilização sem precedentes, 81 sindicatos rurais já contam com comissões locais de mulheres, que têm a prerrogativa de receber consultoria do PSS. O resultado dessa articulação é visível: 70% dos participantes do Encontro Estadual eram do sexo feminino.

Capacitação e sustentabilidade

O vice-governador do Paraná, Darci Piana, evidenciou dois fatores imprescindíveis ao patamar de excelência em que o setor agropecuário se encontra: a sustentabilidade ambiental e a capa citação constante. Piana mencionou o Programa Agrinho, que chegou à sua 28ª edição, atingindo a marca de mais de 1 milhão de trabalhos inscritos neste ano. A iniciativa – maior ação de responsabilidade social do Sistema FAEP/SENAR-PR – trabalha com os alunos questões de sustentabilidade, de forma transversal às disciplinas da grade curricular.

Quando a gente vê programas como o Agrinho, a gente entende por que o nosso agronegócio é tão bom. Não é à toa que somos o Estado mais sustentável do mundo, ao lado de uma província do Japão. É graças a esse trabalho.

Darci Piana, vice-governador do Paraná

Piana, em sua fala, também destacou o trabalho do SENAR-PR, que contribui com o desenvolvimento do setor agropecuário por meio da oferta de cursos nas mais diversas áreas, em todos os municípios paranaenses. Em 2023, até dezembro, a entidade levou mais de 7,5 mil cursos ao campo, formando mais de 86,2 mil produtores rurais.

“O SENAR-PR está ajudando o produtor a ter conhecimento necessário. Está treinando o produtor a, por exemplo, comandar uma máquina que trabalha sem motorista, a pilotar um drone, e assim por diante. Tudo isso é feito a partir desse trabalho extraordinário da FAEP e do SENAR-PR, que eu tenho muito orgulho”, disse.

Imprensa

Composto por jornalistas e diagramadores, o Departamento de Comunicação do Sistema FAEP/SENAR-PR desenvolve a divulgação das ações da entidade. Entre suas tarefas, uma é o relacionamento com a imprensa, incluindo a do setor agropecuário e também os veículos

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • IMG_7804
  • IMG_7797
  • IMG_7803
  • IMG_7790
  • IMG_7793
  • IMG_7787
  • IMG_7775
  • IMG_7783
  • IMG_7771

Boletim no Rádio